Acusado de três homicídios em Juazeiro, incluindo vereador e professora foge da cadeia

O detento Jussier dos Santos Ferreira, de 48 anos, o “Cier”, fugiu misteriosamente da cadeia pública de Juazeiro do Norte na madrugada desta segunda-feira e várias patrulhas da Polícia Militar estão diligenciando na tentativa de recapturá-lo. Ele é acusado de três homicídios e uma tentativa contra uma criança de apenas 3 anos de idade e se encontrava recolhido ao “Tourinho” desde a tarde do último dia 23 de outubro.
Enquanto aguardava o processo de instrução criminal e a pronúncia para sentar no banco dos réus, a fim de responder Ação Penal de Competência do Júri, Cier demonstrava um bom comportamento no cárcere e existem informações que ficava à vontade enquanto fazia serviços diversos. O mesmo é réu confesso no assassinato a tiros do vaqueiro Juciê Garcia da Costa, de 39 anos, no dia 5 de abril de 2010, o qual era seu vizinho na Vila Nova (Bairro Pedrinhas) e tinham brigado por conta de um curral.
Além disso, foi preso em flagrante numa operação chefiada pelo Delegado Juliano Marcula no dia seguinte após matar a tiros e facadas o empresário e ex-vereador Erialdo Araújo Feitosa, de 46, sua mulher a professora Jussara Maria da Silva Feitosa, de 44 anos, e balear uma neta do casal de iniciais S. E. B., de apenas 3 anos. O casal residia no Sítio Pedra de Fogo e foi morto na Rua Guilherme José Bezerra do bairro Campo Alegre, onde a neta saiu lesionada com um tiro no abdômen.
Cier não esboçou qualquer reação ao ser preso e confessou o crime atribuindo a desavenças com Erialdo por conta de negócios envolvendo veículos e imóveis. Já o Delegado Giovani Aquino, diretor do Núcleo de Homicídios e Proteção à Pessoa, disse ter cumprido à sua parte dentro do prazo legal na presidência do Inquérito que o indiciou por homicídio triplamente qualificado (motivo fútil, meio cruel e sem oferecer chance de defesa) em relação ao casal e duplamente qualificado no caso da criança.
A partir daí veio a decretação de nova prisão preventiva já que existia uma anterior motivada pelo assassinato do vaqueiro. De acordo com Doutor Giovani, Cier ficou sob a custódia do estado, através da Secretaria de Justiça do Ceará, e à disposição da justiça. Agora, a direção da cadeia deve se manifestar sobre o fato perante o juiz titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Juazeiro, que pode determinar a investigação pela Delegacia Regional de Polícia Civil no sentido de apurar as circunstâncias da fuga.
Por Demontier Tenório
Miséria.com.br

Notícias Relacionadas

Os comentários estão fechados






© 2015 CN CARIRI - Todos os direitos reservados.
Projetado por: Onsize Desenvolvimento de Sistemas Ltda